Amores Mortos

Como você lida com as lembranças de seus amores passados? Qual o critério que usa para buscar seus relacionamentos? Oswaldo Silva, o protagonista de “Amores Mortos” se caracteriza por duas peculiaridades. Primeiramente desenvolveu uma preferência por “atacar” as mulheres vulneráveis, isto é, toma a iniciativa com aquelas que ele percebe já estarem interessadas nele. Esta é a abordagem a que chama de “predação por tocaia”. Além dessa estratégia, que a maioria dos homens considera desprezível, inclusive pela tendência a fazê-lo colher quase só os “frutos […]

Praia do Sossego: 2ª Edição

O jovem Ricardo vinha enfrentando uma fase ruim em sua vida, que lhe parecia cinzenta e sem rumo desde a morte de sua querida Helena. Perdido em melancolia, vive de maneira meio automática, sem sentir profundamente coisa alguma além da saudade. Até que um dia decide fazer sozinho a viagem à praia que um dia prometera fazer com a amada. Uma viagem que o afasta de cada, das lembranças ruins — e também das boas. Os imprevistos do caminho vão acordando o seus sentidos e […]

O Reino Esquecido

Como você faria se tivesse diante de si um frágil indício de algo importante a respeito do passado? Esse é o dilema enfrentado pelo jovem Jacques Erhardt, e que vai levá-lo a muitas frustrações. Ao mesmo tempo, conhecemos Raimundo, um jovem absolutamente detestável que deseja aventuras a todo custo. Como seus destinos se encontrarão? Após longos dez anos de gestação (que incluíram um período de cinco ininterruptos de abandono), está na Kindle Store o romance “O Reino Esquecido”, a minha primeira tentativa de romance sobre […]

Nasceu “O Reino Esquecido”

Iniciado durante uma semana literalmente febril de junho de 2008, este romance “pseudo-histórico” e doentio é a mais nova obra de minha autoria que consigo terminar. Ainda não sei o que farei dele, que ficou pequeno e confortável para um concurso, se bem que essa simples postagem contendo seu título pode lhe remover o ineditismo segundo o critério louco de algum concurso obcecado em premiar somente quem escreve para a gaveta. O processo de criação deste romance contém todos os erros e equívocos possíveis de […]

O Reino Esquecido

Mais um romance concluído, o terceiro de minha amadoríssima carreira. O Reino Esquecido é um romance que mescla vários elementos e personagens para contar a história de Raimundo Gomes e Jacques Erhardt, dois homens que, em momentos diferentes, se apaixonam pela enigmática Estela e pela saga complicada do minúsculo reino medieval da Alsácia-Sarre, de que nunca se ouvira falar. Embora eu já o tenha dado como «terminado» hoje, ao finalmente alinhavar todos os elementos da história de dos três protagonistas e definir a trama básica, […]

Guardai-nos do Mal

Prólogo para um romance de ficção científica iniciado em 1999, que eu nunca procurei terminar porque descobri que J.G. Ballard já havia escrito uma história parecida demais. As ruas são perigosas. Sair de casa envolve sempre riscos. Por isso procuramos fortalezas, compartimentos isolados para nossos sonhos estanques. Moro em um edifício preparado para isso. Nele moram comigo cerca de mil pessoas, mais ou menos, todas em apartamentos parecidos, de duas ou três peças. Moramos aqui há mais de quinze anos e mesmo depois aqui ainda […]

Epifania — Capítulo 2

Este texto continua a história iniciada em janeiro, aqui. A reunião dos tripulantes durou preciosas horas, durante as quais Kenji permaneceu mais alerta às vaguidões do espaço — com seus perigos e desejos — do que aos sons contraditórios emitidos pelos aparelhos fonadores de tantos humanos confusos. Ouvir aquela algaravia não trazia-lhe nenhuma informação definida, diferentemente do vácuo, onde podia ver a dança dos planetas daquele sistema tão calmo, tão semelhante e ao mesmo tempo tão diferente em relação a um distante outro, que somente […]

Onde Fica a Praia do Sossego?

Quando eu comecei a escrever o romance “Praia do Sossego” eu nem sabia que havia um lugar com esse nome, apenas imaginei que existiria e tratei de escrever a história de alguém em busca de paz que acabava indo para lá. Então um belo dia a minha então namorada me disse que uma amiga dela tinha uma casa em um lugar que tinha exatamente esse nome. Tive de ir lá, não apenas para passar uma semana sozinho e namorando à beira-mar, mas também para conhecer […]

Para Escrever uma Autobiografia

Estávamos conversando despreocupadamente entre uma cerveja e outra quando o meu amigo me olhou, pensativamente, e disse, com a gravidade de quem profere um aforisma de Nietzsche:  — Acredito que você precisa começar a pensar em escrever a sua autobiografia. A frase, assim dita, me pegou de surpresa. Nunca pensara em tal possibilidade, muito embora, na imaginação das pessoas da família e da maioria dos amigos, todas as histórias que escrevo são autobiográficas — o que prova que sou mesmo louco. — Não posso, Flávio. A minha […]

Praia do Sossego — Romance

Após uma gestação demorada e cheia de idas e vindas, finalmente está saindo, pela Editora Multifoco, o meu romance de estreia, Praia do Sossego. Escrito penosamente ao longo de onze anos (entre 1999 e 2010), este livro é importantíssimo para mim, quase um filho, pois contém trechos escritos em cada um desses onze anos (ainda que a revisão final seja entre 2009 e 2010). Trata-se de um verdadeiro testemunho de minha carreira literária, uma obra que contem todas as características básicas de minha ficção e […]

Epifania

À frente de Kenji está o sistema solar escolhido para segundo lar de sua raça, condenada pela lenta morte do planeta original. Kenji pilota sozinho a imensa nave de transporte, com orgulho e com senso de dever: ele controla o destino de milhares de almas. Mas Kenji não tem uma alma, é um autômato insetoide, metálico e desprovido de beleza. Foi construído para ser redundante, seguro, definitivo. E esse ser que não vive trará de volta à vida o precioso conteúdo dos frascos de suspensão, […]

«Amores Mortos»

Terminei agora há pouco a revisão gramatical e ortográfica de meu segundo romance. Amores Mortos é a biografia sentimental de um homem assombrado pelos fantasmas de amores perdidos. Por exigência das regras do concurso em que o inscreverei hoje, dia 30, ele está digitado em 221 páginas de A4, com fonte Times New Roman tamanho 12 e espaçamento duplo entre linhas. O processo de criação de Amores Mortos foi bem menos complicado do que o de Praia do Sossego, a minha primeira obra do gênero. […]