Pagando Bem, que Mal Tem?

Recentemente descobri que há um mercado de resenhas pagas, no qual se cobram valores entre R$ 500 e R$ 8.000 para que algum blogueiro ou YouTuber resenhe sua obra prima e, obviamente, fale bem dela. Eu mais ou menos sabia que o jabá é praticamente uma instituição sacra de nossa cultura, mas julgava, ingenuamente, que eram as editoras que subornavam os jornais, as revistas e as livrarias para alavancar as vendas de seus lançamentos. Mas não imaginava que existisse um “mercado” de exploração dos autores […]

A Geração do “Foda-se”

Comentário lido em uma rede social a respeito dos médicos capixabas que tiraram fotos de calças arriadas e fazendo gestos obscenos e publicaram na Internet: FODA-SE o trauma que isso desperta em alguem… Minha reação a este comentário inacreditável foi esta: Esse pensamento pode até ser aceitável na boca de uma pessoa qualquer, mas nunca na cabeça ou na boca de um médico. Um profissional de saúde é alguém que deve possuir e demonstrar três coisas que você, por esta frase, demonstrou nem saber o […]

Como Dormir num Domingo e Acordar na História

Quebrando ou não o decoro do Parlamento, o cuspe do Jean lavou nossa alma pois reconstruiu o decoro de toda uma classe. Ele “mitou”, como se diz. Acredito que seus eleitores estarão a pensar: valeu a pena votar nesse veado cabra-macho só para ver ele cuspir naquele monte de bosta. Não é todo eleitor que pode se orgulhar de não ter desperdiçado um voto. Essa cusparada trouxe mais respeito à comunidade homossexual do Brasil do que quarenta mil textões de internet. Jean Wyllys entrou para […]

Os Urubus Estão Sempre de Olho

Quase é clichê dizer que a morte é a obra final do artista, sendo poucos os que conseguem planejá-la, fazer dela realmente uma realização. Para a maioria, a morte acontece sorrateira, fora dos palcos já há muito abandonados. Poucos têm, como David Bowie teve, a chance de deixar um verdadeiro testamento à posteridade. Sorte que ele teve por ter conseguido se manter relevante até o fim, quando muitos outros nomes, talvez iguais ou maiores, ficaram pelo caminho. O que não é mais incomum é o […]

Bonitinha, Mas Ordinária — Um Filme que Explica o Brasil

Esta semana, na ressaca do feriado, assisti pela segunda vez um clássico de nosso cinema, baseado em obra ainda mais clássica de Nélson Rodrigues, o Anjo Pornográfico, nosso mais polêmico autor. Trata-se de uma obra que precisa ser melhor apreciada, embora o filme mesmo tenha envelhecido sob vários aspectos – e ainda que as polêmicas abordadas pelo enredo já não sejam tão relevantes no mundo de hoje. Digo que o filme precisa ser mais visto porque a obra de Nélson Rodrigues, cada vez mais, parece […]

O Crítico e os Crânios de Cristal

Uma das principais características da mediocridade é o seu amor pela unanimidade. O medíocre, não sendo capaz de causar emoções duradouras e conquistar afetos sinceros, tem verdadeira paúra de ter apontados os seus defeitos. Ele ama e deseja um ambiente confortável de camaradagem e reciprocidade, “eu coço as suas costas e você coça as minhas”. Nesse ambiente se busca o aplauso, a maioria é o poder legitimador e uma simples curtida dada por um “mestre” é exibida como um troféu. Uma das funções mais importantes […]

Alguns Não Podem Ser Belos

A beleza é algo fundamentalmente polêmico. Sendo questão de gosto, é impossível definir um padrão que agrade a cada ser humano. Por isso não há unanimidade nem mesmo em relação a obras de arte consagradas (há quem ache a Mona Lisa feia, por exemplo) e o consenso, quando existe, é mais o produto de um condicionamento cultural do que de uma escolha racional. Esta semana tivemos uma prova do quanto o condicionamento cultural amortece o julgamento e, quando contestado, revela cavilosos sentimentos que as pessoas […]

Por Causa do Mau Tempo

Fechou-se o céu e eu me sentei para lembrar, ouvindo a água calma pipocando impulsos grossos no papel surdo que esqueci debaixo da goteira. Em algum lugar Jacinto se despede, insípido como consegue, e Fabiana está em casa retocando unhas e atormentando os pelos. Todos esperam que esteja um dia lindo quando o sol cantar nos galhos e as asas dos anjinhos ruflarem pela igreja, assustadas com o arrastar arrítimico do zelo apressado. Amanhã se casarão depois de dar-se as mãos por tanto tempo que […]

Matem-se

Segundo me contou o meu amigo, também escritor, Emerson Teixeira Cardoso, ele trocou correspondência com Eugene Ionescu quando era jovem. Ao ouvir isso, fiquei excitado e lhe perguntei que grandes revelações o mestre do absurdo lhe fizera, pois ele e alguns amigos tinham justamente um grupo de teatro amador em nossa Cataguases natal, na época da suposta correspondência.

Celebridade

Na “praça de alimentação” de um grande shopping em uma cidade razoavelmente grande as pessoas, de vários tamanhos e cores, se amontoam em torno de mesas e competem pela atenção dos garçons. Termino de comer um sanduíche, sem me sentar e vou saindo daquela aglomeração opressiva quando percebo um diálogo divertido acontecendo numa das mesas. Aparentemente uma moça pedira licença a um desconhecido para se sentar em sua mesa, e ele aproveitara a oportunidade para apresentar-se e tentar alguma coisa.

Uma Noite em 1993

Era 1993 e eu estava voltando da faculdade, tarde da noite. Havia um burburinho de flamenguistas em um bar assistindo Boca x Flamengo. Os argentinos ganhavam por 1 x 0. Aproximei-me receoso para ver o placar e justo quando cheguei os argentinos marcaram. Gritei Goooooooooooooool e de repente me vi cercado de olhares ferozes. Algumas pessoas se levantavam da cadeira. Sebo nas canelas. Mas era difícil correr gritando— Felizmente sobrevivi para contar a história, e sobrevivi feliz!

Os Idiotas Eram Sós…

…ou não andavam tão bem acompanhados. Era um mundo melhor, no qual você não se fazia ouvir nem na esquina, mas podia pelo menos desfrutar da doce sensação de que as suas ideias não seriam incompreendidas e ridicularizadas por idiotas. O ser idiota é um ser coletivo, gregário, agremiado, associado, mesmo que informalmente. Ninguém consegue ser realmente um idiota quando está sozinho porque o eco das paredes nos dá a estranha sensação de que não somos geniais ou, ainda pior, de que nossa genialidade nunca […]