A Defesa da Jornada do Herói Através de Falácias

Falácias são erros lógicos em uma argumentação. Um argumento bem estruturado e válido precisa basear-se em elementos reais (postulados válidos) e ter uma relação clara de causa e efeito entre as premissas (as etapas do argumento) e a conclusão final. Quando, mesmo com postulados verdadeiros, a conclusão é absurda, temos um erro de lógica, a falácia. A grande maioria das pessoas argumenta exclusivamente com base em falácias. É o que você ouve nas conversas de bar, nos debates políticos da televisão, nas conclusões a que […]

Ai dos Heróis

Ai de vós que desejais ser heróis. Os vilões não vos perdoarão os pecados da vossa humanidade… — Profecias do Oráculo Cataguasense É relativamente confortável ser mau. Além de incontroverso, pois a média da humanidade só odeia do mau que ele seja revelado, o mal é recompensador. É fácil ser mal. É quase irresponsável. Quem escolhe o caminho do mal pode fazer o que queira e ninguém se desapontará. Dos maus somente se espera que cometam o que há de pior. De fato, algumas pessoas […]

Chega de Histórias Machistas

Estamos em pleno século XXI e certas modas parecem não desaparecer de jeito nenhum, o machismo sendo uma delas. Mesmo na literatura, onde supostamente deveria imperar um tipo de artista mais crítico e mais hábil no manuseio de abstratos, o machismo segue dando as cartas. A Jornada do Herói e o Machismo Uma das formas pelas quais ocorre a perpetuação do machismo na literatura é a adoção servil da “Jornada do Herói” como um modelo padrão para toda história. Acontece que este é um modelo […]

Como Dormir num Domingo e Acordar na História

Quebrando ou não o decoro do Parlamento, o cuspe do Jean lavou nossa alma pois reconstruiu o decoro de toda uma classe. Ele “mitou”, como se diz. Acredito que seus eleitores estarão a pensar: valeu a pena votar nesse veado cabra-macho só para ver ele cuspir naquele monte de bosta. Não é todo eleitor que pode se orgulhar de não ter desperdiçado um voto. Essa cusparada trouxe mais respeito à comunidade homossexual do Brasil do que quarenta mil textões de internet. Jean Wyllys entrou para […]

Impressões da Leitura de “Harry Potter e os Métodos da Racionalidade”

Não foi fácil que alguém conseguisse me convencer a ler uma fanfic. Era para mim uma espécie de artigo de fé que toda obra desta categoria seria desprezível, bem pelo menos foi o que pensei até eu conhecer o site Nightland.co.uk (agora hospedado em http://nightland.website), onde conhecei algumas obras derivadas de William Hope Hodgson nas quais havia qualidade e criatividade suficientes para meus injustos padrões. Porém, mesmo assim, continuei de opinião que fanfic boa era uma exceção. Esta semana topei, pela segunda vez, com uma […]

Impressões (Apenas as Positivas) da Leitura da Série “Harry Potter”

Tenho a certeza de que alguns dos que lerão este texto se surpreenderão por sua simples existência, outros não entenderão sua razão de ser, mas os poucos que me acompanham há algum tempo logo entenderão todos os porquês. Já faz algum tempo que eu participo de debates literários nas redes sociais e a minha posição mais frequente nestes é sempre no sentido de criticar os “best-sellers”, nacionais e estrangeiros, e glorificar obras que têm um pulso mais lento e firme. No entanto, os tais poucos […]

O Método Asimov

O amigo João Gerônimo dos Santos se mostra espantado com um texto em que Isaac Asimov descreve o processo de criação do épico “Fundação”. Não pela sua dificuldade, mas pela forma como o autor o apresenta: sem *glamour* e sem divina centelha (também conhecida como “inspiração”). Para Asimov, o processo foi algo assim: Eu tinha um encontro com o Sr Campbell para conversar sobre o enredo de um novo livro, mas o problema é que, até a reunião começar, eu não tinha enredo nenhum preparado. […]

Mais Coisas Para Não Fazer se Você se Tornar um Vilão Malvado

Além das Cem Coisas Para Não Fazer Se Você Se Tornar um Vilão Malvado, Peter Anspach recolheu mais de 150 outras sugestões, um pouco menos brilhantes, mas também interessantes. Esta postagem continua de onde a outra parou, acrescentando mais 86 lembretes para você que pretende dominar o mundo, ou pelo menos um reino. Não ordenarei ao meu oficial de confiança que mate o menino que está predestinado a me derrubar — eu mesmo o matarei. Não perderei tempo tentando fazer a morte de meu inimigo […]

A Dama Pé de Cabra

> Conforme promessa antiga, eis minha primeira tentativa de transformar a antiga lenda portuguesa da Dama Pé de Cabra em um conto de terror ao gosto moderno. Preservei o tratamento em segunda pessoa para dar um ar medieval ao texto (que é, de fato, ambientado na Idade Média), e procurei evitar, ao máximo, toda modernização que violasse o espírito do original. Sendo assim, as personagens do sexo feminino são deixadas em segundo plano a ponto de nem terem nome. Esta versão, porém, expande a história […]

A Fila Não Incomoda

“A Fila Não Incomoda”: Um Manifesto Contra a Jornada do Herói e em Favor do Direito de Fazer Tudo Errado foi uma série de artigos que escrevi entre maio e junho de 2014, baseada em minhas leituras de alguns artigos críticos do conceito do monomito de Joseph Campbell. Estes artigos foram consolidados neste texto único, divido em partes usando a ferramenta do WordPress que eu só descobri hoje. Originalmente foram oito partes, mas eu acrescentei uma nona, e também uma conclusão e uma bibliografia. Os […]

Façamos a Literatura Feia

Em um mundo literário no qual o meu modo de pensar é visto como um desvio, uma falta de educação, é reconfortante, de quando em vez, ler alguém que também não se conforma com as nuvens róseas que pretendem predominar na literatura. Gustavo Czekster lavou a minha alma esta semana ao publicar no LiteraTortura [um artigo devastadoramente bom]) que expressa, melhor do que eu próprio o faria, aquilo que penso sobre literatura. E havia tanto tempo que não lia nada assim, que não me deparava […]

Avós Rebeldes

Quando criança eu li “[Vovô Fugiu de Casa](http://www.lpm.com.br/site/default.asp?Template=../livros/layout_produto.asp&CategoriaID=848474&ID=384818)”, de Sérgio Caparelli (taí o link, comprem e leiam pois é bom demais). Essa obra foi uma das mais impactantes de toda a minha vida. Várias vezes me peguei reescrevendo histórias que começam com personagens pondo o pé na estrada, tudo por causa do velho que resolve fugir de sua vida deprimente e passar suas últimas semanas ou meses de vida curtindo a serra gaúcha em companhia do neto que sofria bullying na escola. A cena em […]