Pagando Bem, que Mal Tem?

Recentemente descobri que há um mercado de resenhas pagas, no qual se cobram valores entre R$ 500 e R$ 8.000 para que algum blogueiro ou YouTuber resenhe sua obra prima e, obviamente, fale bem dela. Eu mais ou menos sabia que o jabá é praticamente uma instituição sacra de nossa cultura, mas julgava, ingenuamente, que eram as editoras que subornavam os jornais, as revistas e as livrarias para alavancar as vendas de seus lançamentos. Mas não imaginava que existisse um “mercado” de exploração dos autores […]

Os Mapas Mais Inúteis do Mundo

Perguntaram no Quora.com qual seria o mapa mais inútil já criado pela humanidade. Quem perguntou provavelmente se referia a mapas históricos que padeciam de incorreções que impediam seu uso. Porém mapas inúteis não são coisa exclusiva da Idade Média, então os usuários desenterraram mapas modernos que não são lá muita coisa… Alguns mapas especializados não são exatamente úteis, mas podem ser muito interessantes, como, por exemplo: Mas a coisa saiu totalmente do controle e os usuários do site começaram a responder com mapas criados na […]

Os Urubus Estão Sempre de Olho

Quase é clichê dizer que a morte é a obra final do artista, sendo poucos os que conseguem planejá-la, fazer dela realmente uma realização. Para a maioria, a morte acontece sorrateira, fora dos palcos já há muito abandonados. Poucos têm, como David Bowie teve, a chance de deixar um verdadeiro testamento à posteridade. Sorte que ele teve por ter conseguido se manter relevante até o fim, quando muitos outros nomes, talvez iguais ou maiores, ficaram pelo caminho. O que não é mais incomum é o […]

Nando Moura e Apeles

Toda vez que assisto um vídeo do Nando Moura eu me lembro da parábola de Apeles e do sapateiro. Moura é um músico que gosta de mencionar um extenso currículo musical para embasar suas críticas ao funk, ao sertanejo e ao black metal; mas também se mete a falar de filosofia, que confessadamente aprendeu com Olavo de Carvalho, política e até padrões de tomadas. Suas críticas musicais são bastante justas — ainda que sejam mais ou menos o que qualquer bípede implume dotado de telencéfalo […]

Três Grandes Enganos Sobre Debates Literários

Com agradecimentos a Osmarco Valladão. Invariavelmente os debates sobre literatura nas redes sociais são contaminados por falácias e por atitudes infantis, que impedem que opiniões discordantes convivam amigavelmente. Este artigo analisa três destas grandes falácias, apontadas pelo escritor Osmarco Valladão, em uma postagem do grupo “Escritores Ajudando Outros Escritores” e uma quarta que eu mesmo detectei no mesmo tópico do debate. 1. Criticar a obra também significa criticar o seu autor. Quando eu era adolescente, um dos medos que me apavoravam em relação à literatura […]

Silvia Pilz e os Limites de Caco Antibes

Esta semana a blogueira Silvia Pilz finalmente deixou de escrever sua coluna semanal — Zona de Desconforto — para o jornal O Globo, após uma intensa reação da internet a postagens suas em que ela supostamente ridicularizaria os pobres de uma forma humilhante. A queda do blog revela que muita coisa mudou na sociedade brasileira nos últimos anos, Silvia não havia percebido — e muito menos nossa imprensa oligárquica o percebera. Nunca li o blog, não vou comentar o conteúdo dele em si, mas a […]

Sobre Plantar no Asfalto

Tomei recentemente uma decisão um tanto polêmica, que talvez tensione alguns relacionamentos virtuais meus. Trata-se de algo que já penso há algum tempo, mas sobre o qual só conversei com poucas pessoas. Decidi abandonar a partir de hoje uma boa parte de minha atuação na internet e nas redes sociais. Disto resultará eu participar menos em comunidades literárias e não mais entrar nos desafios literários do blog Entre Contos. Não é uma decisão impensada e ela não é motivada por nada que tenha acontecido nos […]

O Derretimento Irreversível de um Passado

> O teu futuro é duvidoso > Eu vejo grana, eu vejo dor > No paraíso perigoso > Que a palma da tua mão mostrou. > — Cazuza (“Bete Balanço”) Setembro de 2014 marca o fim de um momento na história da internet, e da cultura pop como um todo: desaparece o Orkut, a primeira das redes sociais a ganhar tração e estabelecer padrões de comportamento on-line. Com o seu fim o Google está enterrando para sempre, de forma irreparável, uma série de momentos, criações […]

Ai de ti, Literatura Brasileira

Que a maioria dos jovens que pretendem ser escritores carece de significativo talento para escrever, isso eu sempre soube (e frequentemente me incluo nesse grupo de medíocres que se diverte escrevendo, mas nunca vai a lugar algum). O que eu não sabia é que esse problema, ao se fixar e agravar com o tempo, começasse a comprometer até mesmo a capacidade de tais jovens em serem leitores. Fatos ocorridos hoje no grupo “Escritores ajudando outros escritores”, no Facebook me mostraram que se certo tipo de […]

O Rabo que Abana o Cachorro

Na minha postagem anterior ficou parecendo até que eu sou contra o autor fazer divulgação do seu trabalho. Não é nada disso. Não há nada de errado se o autor opta por divulgar seu trabalho, do jeito que pode. O que está errado é a inversão de prioridades que está ocorrendo: esta disponibilidade do escritor em divulgar o que faz ser percebida pelas editoras como um fator para dar preferência a tais autores. A tese de Danilo Venticinque diz que nenhuma editora preferiria um autor […]

Nós, Os Ridículos

Depois que Rafael Draccon afirmou que não publicaria Rubem Fonseca e recebeu as merecidas críticas, outros próceres do mercado editorial não tardaram a sair em sua defesa. Diferentemente de Draccon, que disse o que disse quase que por ingenuidade, os novos artigos são premeditados para alcançarem um efeito. E para isso empregam toda a técnica argumentativa que disfarça o absurdo óbvio (“não publicar Rubem Fonseca”) e enfatiza um novo modelo de negócio no qual o absurdo é o lugar comum. O artigo que eu me […]

Popularidade, Plágio e Advogados

Quando perdemos a noção de nossos direitos, pode às vezes parecer opressão quando querem nos entregar aquilo que devia ser nosso [sugestão de cena ilustrativa: um faquir se recusando a receber pagamento pela sua apresentação]. Às vezes nos acostumamos tanto a entregar de graça o que nos é tão caro, que chamamos de prostituição quando pensam em pagar-nos. Estas duas frases me vieram à mente a propósito de um [texto publicado hoje no “Bacia das Almas”]) pelo +Paulo Brabo. O autor está perplexo porque recebeu uma […]