Aventuras em Rio das Ostras, Parte III

9 maio há 8 anos

Depois de apenas um dia e meio de praia, a segunda feira amanheceu vestida de um som tão lindo que dava vontade de xingar, pois não tínhamos mais roupa limpa — e nem onde lavar. Como não queríamos comprar roupas novas para cada novo dia, e também porque a semana era a última das férias, com muita pendência ainda a resolver, pusemos as bagagens na mala e pegamos a estrada.

1 comentário

As Abominações de Yondo

7 maio há 8 anos

Original de Clark Ashton-Smith. Traduzido a partir da versão online em Eldritch Dark. As areias do deserto de Yondo não são como as areias de outros desertos, pois Yondo está mais perto da borda do mundo e estranhos ventos que sopram dos abismos que nenhum astrônomo espera divisar têm semeado seus campos arruinados com a poeira cinzenta de planetas corroídos e as cinzas negras de sóis extintos. As montanhas arredondadas que se erguem, negras, de sua planície enrugada e esburacada não são todas suas, pois […]

Seja o primeiro a comentar

Entrevista de Emprego

3 maio há 8 anos

Entrei em uma sala gélida, de móveis desenhados a régua e compasso, mas sem inspiração. Uma senhora tentava parecer vinte anos mais jovem a custa de muita maquiagem e de roupas roubadas do armário da filha do meio.Quando me viu ela ergueu os olhos cuidadosamente, tentando disfarçar que os seus óculos transados eram trifocais, e sinalizou-me uma cadeira desconfortável. Sempreé desconfortável a cadeira de quem se mede com a autoridade, eu tinha a sorte de não ser um instrumento de interrogatório medieval. Vendo-me devidamente em […]

Seja o primeiro a comentar

[Tradução] Após o Armagedom (Clark Ashton Smith)

2 maio há 8 anos

Deus caminha leve nos jardins de uma estrela escura e fria.[^1] Desconhecendo o pó que se apega às dobras de sua roupa, Deus assinala no barro, marca-o no molde, Andando nos campos noturnos de uma guerra perdida Em uma estrela que há muito esfriou. Deus pisa brilhante onde há ossos de coisas esquecidas, Pálido de esplendor como a geada de uma praia banhada de luar, Deus vê as tumbas à luz de Sua face, Ele treme ao ler as runas lá gravadas, e Sua sombra […]

Seja o primeiro a comentar

A Ficção de Clark Ashton Smith

1 maio há 8 anos

Há momentos na história da lite­ratura em que os veí­culos mais inusi­tados dão vazão ao talento de autores competentes, resultando em obras de insus­peita quali­dade que, infeliz­mente, tardam em receber o devido reco­nhe­ci­mento devido ao precon­ceito moti­vado justamente pelos veículos em que foram publicadas. Um desses momentos foi o período entre-guerras nos Estados Unidos, quando floresceram revistas mensais de folhetim conhecidas como “pulp fictions”. Impressas em papel barato e vendidas a preço baixo, destinadas à classe operária, não deixaram, por isso, de contar com autores de primeira grandeza porque ofereciam um veículo para a profissionalização de quem desejasse começar na literatura.

5 comentários

A Paisagem com Salgueiros

28 abril há 8 anos

Original de Clark Ashton-Smith. Traduzido a partir da versão online em Eldritch Dark. A pintura tinha mais de quinhentos anos e o tempo não mudara suas cores, senão para tocá-las com a tenra suavidade das horas antigas, com a morbidez acumulada de coisas passadas. Fora pintada por um grande artista da dinastia Sung, em seda da mais fina trama, e montada em uma moldura de ébano arrematada em prata. Por doze gerações fora uma das mais queridas posses dos antepassados de Shih Liang e igualmente […]

Seja o primeiro a comentar

[Tradução] O Explosivo de Baumoff (William Hope Hodgson)

25 abril há 8 anos

*Dally, Whitlaw e eu discutíamos a estupenda explosão que recentemente ocorrera nas cercanias de Berlim. Nos maravilhávamos com o extraordinário período de escuridão que se seguira, e que dera curso a tanto comentário nos jornais, com teorias a rodo.*

*Os jornais tinham tomado conhecimento do fato de que as autoridades de guerra estariam experimentando um novo explosivo, inventado por certo químico chamado Baumoff, e se referiam a ele constantemente como “O Novo Explosivo de Baumoff”.*[…]

1 comentário

Queime um Livro

24 abril há 8 anos

Deparei-me hoje com a campanha do Literatura Fantástica Brasileira contra o que consideram má literatura e me confesso meio espantado com o teor desta. Primeiro porque sou cético quanto a critérios absolutos para avaliar a qualidade de produções artísticas: como todo mundo que conhece a história da literatura, tenho uma saudável sensação de que a exclusão de algo por ser ruim soa como academicismo, que já fez muito mal à arte no passado. Segundo porque a ideia de queimar um livro ruim me agride a […]

2 comentários

Aventuras em Rio das Ostras, Parte II

15 abril há 8 anos

Depois de chegar ao hotel com oito horas de viagem nas costas, ninguém queria mais saber de praia. Ainda bem, porque estava chovendo pacas. Descarregamos o mais rápido que pudemos e fomos nos adaptar ao quarto.

Seja o primeiro a comentar

O Mundo Fantástico de H. P. Lovecraft!

13 abril há 8 anos

Gostaria de ter blogado isto antes, mas a rotina corrida dos dias úteis me impediu. Nesta quinta feira chegou às minhas mãos o meu exemplar da antologia “O Mundo Fantástico de H. P. Lovecraft”, da qual participei traduzindo nada menos do que cinco obras do mestre americano do horror cósmico: “A Busca de Iranon” (*The Quest of Iranon*), “O Habitante das Trevas” (*The Haunter of the Dark*), “Um Sussurro na Escuridão” (*The Whisperer in Darkness*), “O Depoimento de Randolph Carter” (*The Statement of Randolph Carter*) e “O […]

1 comentário