Menções

Uma sele­ção de links para luga­res onde sou repu­bli­cado (nem sem­pre com link de volta) ou men­ci­o­nado (nem sem­pre de forma elo­gi­osa).

  • O blog “Tudo em Cima” repro­duz, com cré­di­tos, um comen­tá­rio meu de face­book.
  • O blog “Golem” cita hon­ro­sa­mente minhas tra­du­ções de Clark Ashton-​Smith.
  • Só hoje (20 de outu­bro de 2016) des­co­bri que tenho uma tag no blog Entre Contos. Talvez tenha demo­rado a per­ce­ber por­que anti­ga­mente eles dele­ta­vam os tex­tos dos desa­fios, ou por­que não cos­tu­mam vir visi­tan­tes de lá para cá.
  • O “Mundo das Resenhas” comenta sobre minha tra­du­ção para “The House on Borderland”, de W. H. Hodgson.
  • Rodolfo Luiz Euflazino rese­nha a cole­tâ­nea Redrum, da Editora Caligo, que con­tém, entre outros, o meu conto A Noiva Liberdade.
  • O site Day Translations citou minha opi­nião sobre a reforma orto­grá­fica.
  • Michelle tam­bém rese­nhou a cole­tâ­nea “Redrum”, da Editora Cáligo, que já é a cole­tâ­nea de maior visi­bi­li­dade den­tre as que par­ti­ci­pei.
  • Ben Oliveira rese­nhou a cole­tâ­nea “Redrum”, da Editora Cáligo, onde meu conto “A Noiva Liberdade” foi publi­cado. A rese­nha abrange todos os tex­tos.
  • A revista ele­trô­nica Slate publi­cou uma res­posta minha ao site Quora.com a res­peito dos nomes estra­nhos que nós bra­si­lei­ros às vezes nos damos.
  • O jor­nal A Tarde tam­bém citou, bre­ve­mente, o lan­ça­mento da cole­tâ­nea “Redrum”.
  • Márcia Saito rese­nhou “Praia do Sossego” em seu blog Torrente Literária.
  • Sérgio Ferrari, o Astromiau da Discórdia e do Atum, cita uma pos­ta­gem minha, que fora ins­pi­rada por uma pos­ta­gem sua. I scratch your back, you scratch mine.
  • O blog Leituras Paralelas reco­menda minha tra­du­ção de Vulthoom, do Ashton-​Smith.
  • O blog Romance Sobrenatural trans­for­mou em audio-​book (mp3) a minha tra­du­ção das Abominações de Yondo, do Ashton-​Smith.
  • Mário Júnior, do blog Desacordo Moral, lis­tou entre seus favo­ri­tos ambos os blogs que hos­pedo aqui, o Letras Elétricas e o Arapucas Libertárias. Entre seus tex­tos favo­ri­tos, ele citou Avós Rebeldes, Mais Compreensão do que Estudo, O Sábio Louco e o Ignorante Vigoroso e Grãos de Areia na Praia. Pena que o Mário lin­kou tudo errado. Pô, Mário, acerta os links aí…
  • O blog Romance Sobrenatural, de Jossi Slavic Genius, comenta favo­ra­vel­mente minha tra­du­ção de “Uma Voz na Noite, de William Hope Hodgson.
  • O blog Alihaverso lin­kou o meu artigo sobre o caso das fami­ge­ra­das dicas para escre­ver.
  • Roberta Filipov, citou a minha tra­du­ção do William Hope Hodgson de forma elo­gi­osa. A tra­du­ção tam­bém está no site ePUBbr, mas sem nenhum cré­dito apa­rente (somente den­tro do arquivo, bem escon­di­di­nho e sem link).
  • Rafa Lombardino, que já havia tra­du­zido para o inglês o meu conto “A Menina Que Gostava de Escrever Histórias”, agora publi­cou meu relato da expe­ri­ên­cia de tra­du­zir o romance do Hodgson.
  • Lady Sybylla, do Momentum Saga notou, em 2011 (e só hoje fiquei sabendo) que o meu blog (ainda hos­pe­dado no blogspot.com) era “bem escrito, coeso e inte­li­gente”. Obrigado, Sybylla.
  • Tibor Moricz detes­tou “O Último Reduto”, que saiu pela anto­lo­gia Solarium 2, da Editora Multifoco. Com razão, eu tam­bém detes­tei aquele conto (na ver­são publi­cada) a ponto de ele ter afe­tado a minha car­reira lite­rá­ria pos­te­ri­or­mente: decidi não mais escre­ver aquele gênero (fic­ção cien­tí­fica hard), não mais escre­ver temas sob enco­menda (inclu­sive, por isso, aban­do­nei a comu­ni­dade Contos Fantásticos, do Orkut) e joguei fora (no sen­tido de “pus numa pastinha-​lixo em meu HD”) mais de cem pági­nas de pes­quisa pre­li­mi­nar que havia feito. Tibor entende do assunto. Mas eu revi­sei a his­tó­ria e a repu­bli­quei aqui em 28/​08/​2012. Ela tam­bém ser­viu de base para o conto Branca de Neve no Século XLIV.
  • Simone Saueressig comenta em seu blo­gue o meu conto «O Preço da Passagem» seria um dos inte­gran­tes da Antologia «Sinistro!» que real­mente mere­cem estar publi­ca­dos.
  • O Pai Nerd toma conhe­ci­mento de minha exis­tên­cia, bre­ve­mente.
  • A Revista Pandora publi­cou publi­cou meu texto sobre Bóris Casoy e os Lixeiros (que está no meu outro blog). Não tive­ram a fineza de colo­car um link, porém, ao con­trá­rio de mim, que agora que des­co­bri, estou pondo um para eles.