S.P.A.M.

6 fevereiro há 9 anos

Não quero moedas verdes, já sei qual foi o dia de meu casamento. O de minha morte, não sou Idi Amin para querer saber. Não quero convites para o Novo, não preciso de alongar meu pênis, não me interessa comprar pílulas azuis e nem retirar, sem pagar a dívida, o meu nome do SPC. Eu quero é paz de espírito — ah, se vendessem isso a quilo! Eu quero saber apenas o que todo mundo sabe, mas que EU ainda não sei. Gosto de coisas […]

3 comentários

Detesto Viajar

25 janeiro há 9 anos

Odeio terminais rodoviários, o cheiro de gente e de óleo diesel derramado, os banheiros sem qualquer traço de personalidade, as pessoas exclusivamente preocupadas em retornarem ou irem, andando de um lado para outro com suas malas. Detesto ônibus, trens e aviões. Detesto estações e aeroportos. Custa-me pôr em movimento a minha vida, ter de retirar meus pés do chão. Tornei-me meio árvore, tanto tempo estando nesta mesma cidade e nesta rua mesma. Quando escuto os veículos que passam levando gente atrás de seus destinos, lembro-me […]

Seja o primeiro a comentar

Ghost Writers in the Sky

21 janeiro há 9 anos

Judah Stevens ganhou os primeiros trocados escrevendo discursos para políticos e anúncios de xaropadas curativas no jornaleco local. Tinha sido bom em redação na escola e por isso o haviam recomendado a um cargo na Prefeitura, por influência de sua família relativamente influente. Com o tempo tornou-se o braço direito de ambos os partidos. Na calada da noite, como vampiros, homens de terno o procuravam com encomendas ilegais: “queremos discurso contra a privatização da rodovia”. No dia seguinte outros homens, de ternos iguais e voz […]

Seja o primeiro a comentar

Os Mortos

23 dezembro há 9 anos

Se os vivos ferem, não tenhas pranto, não queiras tanto acidentes: por enquanto não resolvem lágrimas. Seque-as em outros portos porque tudo se conserta quando partem: todos são felizes quando sobram e ninguém odeia os mortos.

Seja o primeiro a comentar

Cartão de Natal Comunista

21 dezembro há 9 anos

Inspirado em um cartão que recebi, quando ainda adolescente, de um amigo por correspondência romeno. Como se sabe, comunistas de verdade não são como a Heloísa Helena, carolas e cheios de fé, mas monstros ateus comedores de criancinha. Portanto, nada de referência a Natal e Ano Novo: natal de comunista é uma festa secular.

Seja o primeiro a comentar

Lendo

16 dezembro há 9 anos

Ler é prazer, é busca, encontro. É satisfação, inquietude e desencontro. Leio porque preciso De um jeito impreciso Sorver antônimos e cores Nas formas das letras e nomes. Lendo me abro portas, quando fecho os olhos E me abro a mente para outros modos, Dissonantes, alheios, diferentes. Quando a porta se abre na alma A mente se desprende E meu olhar se transforma. Lendo conheci países, Bebi de fontes desconhecidas, Estranhas, fascinantes. Não leio por qualquer coisa: Leio apenas porque preciso, Porque livros são o […]

Seja o primeiro a comentar

O Pecado da Tristeza

9 novembro há 9 anos

“Como você ousa dizer que andou deprimido?” — perguntou-lhe o amigo de muitos anos. Custódio abriu os braços num gesto largo e insignificante, deixou uma palavra no trampolim da língua, mas fechou os lábios crispados de raiva sem ter dito coisa alguma. O amigo continuou: “Com um emprego como o que você tem, uma família linda, cheio de saúde…” Dava vontade de matar o amigo. Como era possivel que alguém com quem convivera durante tantos anos se mostrasse incapaz de compreender justamente uma confidência tão […]

Seja o primeiro a comentar

Pânico Eletrônico

11 outubro há 9 anos

Quando comecei a comprar meus primeiros CDs, em 1995, ainda eram primordialmente versões importadas, geralmente dos Estados Unidos ou da Alemanha. Havia uma mensagem impressa neles, ao final de uma breve seqüência de instruções para cuidado e limpeza que, afinal, não era mais do que recomendações de bom-senso: “se você seguir estas instruções, o CD lhe proporcionará uma vida inteira de puro prazer auditivo” (If you follow these instructions, the compact disc will provide you with a lifetime of listening enjoyment). Certamente esta promessa era […]

Seja o primeiro a comentar

Cruzar a Ponte

26 agosto há 9 anos

Quando passo pela ponte sinto uma vertigem que me atrai em direção à água. É um instante de terror em que quase me imobilizo. Não posso correr, pois isso me desequilibraria. Tenho de ir devagar, medindo os passos e ignorando o rio ao mesmo tempo em que mantenho o olhar fixo em suas águas regurgitantes. Cruzo a ponte todos os dias para ir ao trabalho. Se não me causasse tanta vergonha minha vertigem eu poderia encontrar algum meio de evitar cruzar a pé, mas de […]

Seja o primeiro a comentar

Apenas Teimo Ser Poeta

25 agosto há 9 anos

Meu problema é essa teima de poeta, de ser humano, de ter desejos que não cabem nos limites de beijos porque não beijas a inquietude que eu quero. E eu preciso interromper esta agonia de nada acalentar quando sonho. Sonho sim, e não me obedeço porque quero sonhar voos que não devo e é a tua mão que me amarra com amor e com afeto, com açúcar e veneno. Menti que a amava, agora peno consequências de um mal que planejei: a felicidade quieta de […]

Seja o primeiro a comentar

Lendo Paulo Coelho

23 agosto há 9 anos

Depois de anos “descendo o malho” em um carinha invisível que faz chover (não me refiro a Manitu, mas ao Paulo Coelho), resolvi encarar o desafio de ler uma obra sua a fim de ver qual é a dele. Eu tive que me dedicar a isso porque várias vezes me acusaram de ser incoerente por minha postura “não li e não gostei”. Pois bem, tomei coragem e li. Eu não gostei. Aliás, detestei muito mais do que supunha que detestaria. Paulo Coelho não é apenas […]

2 comentários

A Mulher do Escritor

20 julho há 9 anos

O pobre escritor está há quatro dias sem dormir direito, tentando manter fresca na mente a inspiração genial que teve para terminar seu romance encalacrado há quatorze meses. Enfrenta dias de desespero diante das páginas desafiadoras, tentando transferir para o papel virtual na tela do computador as palavras novas que lhe chegaram. Uma tarefa inglória, uma luta contra todas as artimanhas, armadilhas e arapucas de seu grande arqui-inimigo: a esposa. A esposa do escritor acorda tarde e arruma a casa ao som do rádio FM […]

Seja o primeiro a comentar