A Geração do “Foda-​se”

Comentário lido em uma rede social a res­peito dos médi­cos capi­xa­bas que tira­ram fotos de cal­ças arri­a­das e fazendo ges­tos obs­ce­nos e publi­ca­ram na Internet:

FODA-​SE o trauma que isso des­perta em alguem…

Minha rea­ção a este comen­tá­rio ina­cre­di­tá­vel foi esta:

Esse pen­sa­mento pode até ser acei­tá­vel na boca de uma pes­soa qual­quer, mas nunca na cabeça ou na boca de um médico.

Um pro­fis­si­o­nal de saúde é alguém que deve pos­suir e demons­trar três coi­sas que você, por esta frase, demons­trou nem saber o que é:

  1. sen­si­bi­li­dade
  2. ética
  3. res­pon­sa­bi­li­dade

Sensibilidade sig­ni­fica que o pro­fis­si­o­nal de saúde não deve fazer publi­ca­mente nada que possa cau­sar des­con­forto aos paci­ente.

Ética sig­ni­fica (entre outras coi­sas) que o pro­fis­si­o­nal de saúde não deve fazer nada que cause pre­juí­zos ao paci­ente.

Responsabilidade sig­ni­fica que o pro­fis­si­o­nal de saúde não pode agir de forma uni­la­te­ral, sem pen­sar nas con­sequên­cias de seus atos.

Aliás, nenhum adulto deve­ria agir assim.

Eu sou do tempo em que a marca da idade adulta era quando você, supos­ta­mente, pas­sava a agir com res­pon­sa­bi­li­dade.

Hoje em dia, infe­liz­mente, parece que se almeja ao direito da eterna irres­pon­sa­bi­li­dade. O direito ao foda-​se.

Ser res­pon­sá­vel é ser “qua­drado”, é ser “bito­lado”. Para ser livre você deve ser irres­pon­sá­vel.

E foda-​se quem achar que você está errado.

O tenho a lhe dizer é que você é parte do que está errado nesse país.

A ima­tu­ri­dade dos adul­tos ainda nos custa muito. A super­fi­ci­a­li­dade de gente que não pensa em con­sequên­cias do que faz. Que não enxerga nin­guém além de si mesmo e do pró­prio desejo de ser livre e de fazer o que quer.

Você, cara, não é um adulto, homem. Você é um Peter Pan por den­tro. Um meni­não que criou barba e apren­deu a tran­sar (supos­ta­mente), mas ainda age como aquele mole­que espi­nhento de treze anos que amar­rava bom­bi­nha no rabo do gato e subia no bas­cu­lante do banheiro da escola para ver as meni­nas.

Quando você vai cres­cer e pen­sar nos outros?

Quando você come­çará a pen­sar no velho ditado segundo o qual “quem diz o que quer, ouve o que não quer.”

Responsabilidade, cara.

É hora de cres­cer.

Agir como homem, não mais como o mole­que.

One thought on “A Geração do “Foda-​se”

  1. Eu não fico mais sur­preso com ati­tu­des e rea­ções, mas sem­pre fico cho­cado. Não fico sur­preso, por­que sei do que as pes­soas são capa­zes, sei das rea­ções que as pes­soas terão. Mas fico cho­cado por­que elas são de um absurdo tão grande, que não me entra na cabeça, jamais, como isso é pos­sí­vel? E então, a res­posta me ful­mina. A igno­rân­cia reina… 🙁

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.