Como Mudar a História com uma Letra

O escritor e tradutor português Jorge Candeias sugeriu em seu perfil do Facebook um joguinho besta, mas interessante como exercício imaginativo. Tão interessante que está rolando há três dias e já chegou a mais de 300 postagens. A ideia é “estragar”, ou seja, perverter de forma evidente, um título perfeitamente bom de uma obra literária conhecida **alterando apenas uma letra**, seja pela adição, pela subtração ou pela substituição. Na qualidade de participante do tópico, deponho aqui também as minhas contribuições e aqui vai a lista das sugestões mais hilárias e com potencial de inspirar a criação de novas histórias.

  • José Geraldo Gouvêa: Grande Serjão: Veredas (uma foto de Sérgio Reis)
  • José Geraldo Gouvêa: As Linhas da Ira (comentário de Jorge Candeias: “Uma emocionante história sobre tráfico de cocaína.”)
  • Jorge Candeias: Tormenta de Escadas (comentário meu: “eis algo que realmente atormenta”)
  • Ernesto Nakamura: Dom Quixute (comentário meu: “o cavaleiro do triste calçado”)
  • José Geraldo Gouvêa: A Lombra Sobre Innsmouth.
  • Jorge Candeias: O Preço da Pastagem, especialmente para ti, ó Zé Geraldo. 😀
  • Jorge Candeias: As Papilas do Senhor Reitor.
  • Regina Gomes Catarino: A Ilustre Cana de Ramires.
  • Jorge Candeias: O Ano da Morte de Ricardo Seis, um épico robótico
  • José Geraldo Gouvêa: Para aquele ciborgue que ainda não possui todas as partes cibernéticas: Androides Sonham com Orelhas Elétricas?
  • Jorge Candeias: O Homem que Caiu na Terma, do Walter Tevis.
  • José Geraldo Gouvêa: Talvez, o Imperador do Acre.
  • Jorge Candeias: Bolaris, um livro absurdo sobre futebol
  • José Geraldo Gouvêa: Se você bater bastante em um místico oriental até ele ficar da espessura de uma folha o que você tem é… O Ilaminado
  • Regina Gomes Catarino: Vinte Mil Éguas Submarinas.
  • José Geraldo Gouvêa: Oscar Wilde poderia ter escrito Cinco Semanas num Barão… ou o rapaz era um baronete apenas?
  • Regina Gomes Catarino: Já que as regras originais permitem adicionar uma letra… Não Temperei Nenhum Mal (Heinlein)
  • Jorge Candeias: Capim, do Saramago.
  • José Geraldo Gouvêa: A Jangada de Pera flutua melhor que a do Saramago.
  • Ernesto Nakamura: A Terra Degolada, de T. S. Eliot então 😉
  • Ernesto Nakamura: O Coração das Tretas, de Joseph Conrad.
  • José Geraldo Gouvêa: Falhas da Relva, do Whitman.
  • José Geraldo Gouvêa: Veronika Decide Morder, a história em que uma depressiva se mata e ressuscita como zumbi.
  • Jorge Candeias: A Viagem do Elegante, do Saramago.
  • José Geraldo Gouvêa: O Diário de um Gago.
  • José Geraldo Gouvêa: Manuel Prático de Levitação, do Agualusa, aprendamos com ele, embora ele não saiba a teoria.
  • Jorge Candeias: Canções da Serra Distante, do Clarke. Um livro rural e telúrico.
  • Regina Gomes Catarino: Fundição 😃 (comentário de Jorge Candeias: Segunda Fundição)
  • Jorge Candeias: Fahrenheit 45, um livro de Bradbury em que o pessoal anda com frio e lê muito.
  • Jorge Martins Rosa: O Litro do Desassossego (comentário meu: “bebendo para esquecer”)
  • Regina Gomes Catarino: Rendez-vous com Lama (comentário meu: “o bordel mais sujo do sistema solar”).
  • Carlos Franquinho: Cheguei com um dia de atraso, estive a ler os comentários todos e nem acredito que ninguém se lembrou de O Senhor dos Anais – A Irmandade do Anal. Ou estavam a conter-se para manter o nível?
  • Regina Gomes Catarino: O Número da Bosta, do Heinlein, sobre uma companhia de distribuição de adubos naturais que entrega encomendas por telefone.
  • Jorge Candeias: História do Circo de Lisboa, do Saramago
  • Jorge Candeias: A Minha Puta, do Hitler. Parece que o trauma o levou a tornar-se ditador.
  • Jorge Candeias: E para perfazer os 150 comentários, Cantos de Ambrose Bierce, um livro sobre as qualidades canoras do Bierce (comentário da Regina Gomes Catarino: “Acho que gosto mais do The Devil’s Pictionary, uma edição especial dedicada ao oculto, ilustrada”).
  • Jorge Candeias O Verne também escreveu outro livro sobre mistérios: A Filha Misteriosa
  • Regina Gomes Catarino: Então um dedicado ao canto lírico… O Sétimo Solo
  • Regina Gomes Catarino: A mulher de 90 anos, crónicas de Balzac sobre as aventuras amorosas de uma nonagenária.
  • José Geraldo Gouvêa: O Guaraná, de José de Alencar, a história de um indígena viciado em alcaloides.
  • José Geraldo Gouvêa: O Beiço no Asfalto, de Nelson Rodrigues (comentário de Jorge Candeias: “História de um motoqueiro desastrado?”).
  • José Geraldo Gouvêa: A Arte de Fartar. Uma obra escatológica atribuída ao Padre Vieira, contendo técnicas avançadas para peidar com estilo.
  • Jorge Candeias: No Lumiar da Realidade, do Bloch, uma história alucinogénica ambientada no bairro do Lumiar, em Lisboa.
  • José Geraldo Gouvêa: Os Meninos da Rua Saulo. Sobre os pais dos personagens de Ferenc Molnar.
  • José Geraldo Gouvêa: Amor de Saldação. Aquele amor que paga suas contas.
  • Jorge Candeias: Bancos Estúpidos, do Moore, uma crítica incisiva da crise mundial.
  • Jorge Candeias: Rosa, Minha Irmã Rasa, da Alice Vieira, uma história triste sobre uma menina sem mamas.
  • José Geraldo Gouvêa: O Capetal no Século XXI. Para o irmão quase gêmeo de Pickett a era moderna é mais demoníaca do que capitalista.
  • José Geraldo Gouvêa: As Velas Abertas da América Latina singram rumo ao futuro.
  • Rafael Bertozzo Duarte: As Pupilas do Senhor Feitor. O Senhor Feitor treinava suas filhas para baterem nos escravos.
  • Regina Gomes Catarino: A Queda dum Banjo, sobre a vida e carreira de um instrumento de cordas.
  • José Geraldo Gouvêa: Virgens na Minha Terra, a indescritível história de um português do século 19 obcecado por donzelas.
  • José Geraldo Gouvêa: O Minifesto Comunista a versão resumida do famoso panfleto.
  • José Geraldo Gouvêa: O Manifesto Cãomunista, marxismo para animais domésticos.

Comentários do Facebook

0 thoughts on “Como Mudar a História com uma Letra

  1. Pensei em alguns, depois de reler um resumo de literatura:

    Demanda do Santo Gramal
    Putos Pastoris
    Cobras Poéticas
    Capões
    Rolhas Caídas
    Amor de Perdigão
    Leite de Folhas Verdes
    Lira dos Vinte Anus, escrito em parceria com o sr. de Sade
    Noite na Caverna, uma continuação do softcore original
    Tal
    O Ronco do Ipê
    Memórias de um Sarnento de Milícias
    Rosas Bárbaras
    Regrinha
    O Vissionário
    Gabriela, Cravo e Cadela
    Os Capitães da Aveia
    Lima Paulistana
    Eurupês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.