O Escolhido

O Depoimento Deixa eu explicar, senhor delegado, não fiz por maldade não. Eu nem conhecia o garoto pessoalmente, sou novo na cidade, no prédio. Mãe dele eu nunca nem tinha visto passar na escada, porque eu, ela, todo mundo trabalha oito horas por dia, fora condução e almoço na cantina do serviço. Nada pessoal, foi por causa do sono. Acredite, sono. A falta de sono é capaz de levar um sujeito a fazer coisas que nem ele depois acredita, de repente eu que estava possuído, […]

Aprendendo a Descascar Alho Sem Ir Para o Inferno

Fiz compras na quinta feira e, por engano, coloquei o alho dentro da geladeira, no compartimento abaixo do congelador. Agora há pouco, procurando onde estava, para preparar o arroz integral que vou congelar para a semana inteira, encontrei o saquinho lá e achei que tinha feito besteira: o alho estava até duro de tão gelado e um dos dentes tinha brotado. Vem cá, alho gosta de clima ultra-frio? Pois bem, hoje tá frio e eu não tinha tempo para esperar o alho esquentar. Olha aqui […]

Antes Que Ele Falasse…

Ah, o velho “abóbora”, nascido em 1982 em São Bernardo do Campo e pintado de verde-claro por fora, forrado de vinil e napa por dentro. O cheiro dos bancos de vinil era inigualável, uma mistura de mofo, pêlo de morcego e perfume entranhado de antigos passageiros. Inesquecível lata-velha com aquele buraco no chão do lado do carona, onde certa vez enfiei o pé durante um exercício romântico. O carro em que era impossível fazer baliza porque só tinha retrovisor de um lado. Aquele carrinho de […]

O Estilo Cucaracha

A barata é uma criatura que testa a engenhosidade do ser humano, mas também os seus dotes marciais. Nada é mais revelador do caráter de um homem do que o inesperado encontro com uma cascuda voadora a zumbir no escuro. Deve ser por isso que H. P. Lovecraft escreveu que o título original do Necronomicon era Al Azif, supostamente “o zumbido”. Uma barata voadora no escuro é uma ameaçada alada à masculinidade de qualquer barbado fã de death metal escandinavo. Agora há pouco tive um […]

Protocolos

Não basta anotar o protocolo, conforme aprendi. A primeira lição do curso recebido por todo operador de telemarketing é como pronunciar o próprio nome de maneira ininteligível. — Suporte técnico, ãefoñhonis, bom dia. — Bom dia, er… com quem falo? — ãefoñhonis (anota: “Afonso”) — Bem, o problema é…. — A solução é… — Obrigado. — Anote o protocolo, pf. — Manda — 9458495834 — Anotado. (problema não é resolvido) (liga de novo) — Suporte técnico, Ũealditon, bom dia. — Bom, er… estive ligando mais […]

Quatro Vezes Amor

O rapaz se aproxima de sua amada à moda antiga, apesar do velho tênis e da calça desbotada. Vem com as mãos nos bolsos e fingindo uma timidez fora de moda, parte do ritual. — Amor eu preciso lhe dizer uma coisa. — Sim, querido. Ele se ajoelha como numa ópera bufa e abre uma caixinha revestida de veludo azul. — Quer se casar comigo? A moça pega o objeto e o contempla: — Nossa, querido! Que lindo! Que lindo! Quatro cores! Amarelo, ciano, magenta […]

Perguntas que Satanás Faria

Da solidão das profundezas fumarentas o Antigo Inimigo da Humanidade trama um meio de chegar melhor à humanidade. Sempre foi assim, pois ele parece carente e cada vez quer mais companhia. Recentemente descobri o seu perfil em um desses sites de perguntas e respostas e tive um acesso privilegiado à mente de Satanás, conhecendo as dúvidas existenciais que o afligem. Aqui as compartilho com vocês: Por que vós me considerais mau, se eu apenas fico com as almas que Deus não quer? Aquela coisa do […]

Como Mudar a História com uma Letra

O escritor e tradutor português Jorge Candeias sugeriu em seu perfil do Facebook um joguinho besta, mas interessante como exercício imaginativo. Tão interessante que está rolando há três dias e já chegou a mais de 300 postagens. A ideia é “estragar”, ou seja, perverter de forma evidente, um título perfeitamente bom de uma obra literária conhecida **alterando apenas uma letra**, seja pela adição, pela subtração ou pela substituição. Na qualidade de participante do tópico, deponho aqui também as minhas contribuições e aqui vai a lista […]

Os Mapas Mais Inúteis do Mundo

Perguntaram no Quora.com qual seria o mapa mais inútil já criado pela humanidade. Quem perguntou provavelmente se referia a mapas históricos que padeciam de incorreções que impediam seu uso. Porém mapas inúteis não são coisa exclusiva da Idade Média, então os usuários desenterraram mapas modernos que não são lá muita coisa… Alguns mapas especializados não são exatamente úteis, mas podem ser muito interessantes, como, por exemplo: Mas a coisa saiu totalmente do controle e os usuários do site começaram a responder com mapas criados na […]

Zumbis e Vampiros Mordendo-se

Ao contrário do que possa parecer, esta postagem não foi, de nenhuma maneira, inspirada pelo conto “O Ataque dos Zumpiros“, de Alec Silva, mas escrita em 29 de março de 2016 como resposta a uma pergunta do Quora.com Se um vampiro é mordido por um zumbi, nada de realmente bom pode acontecer. Mas o que realmente acontece vai depender de que tipo de vampiro falamos, e de que tipo de zumbi. Comecemos, então, por definir ambos. A) O Vampiro Vampiro da mitologia balcânica e eslava […]

Em Nome de Stallman e Torvalds, Salvai-me!

Devo ser o único ser vivente neste sistema solar que ainda insiste em usar nomes de arquivo padrão 8.3 (não, minha idade não é da sua conta). O arquivo se chamava roseira.odt (e isso não tem nada a ver com o título, exceto que em uma das histórias há um roseiral). Se você acha que isso é receita para algum azar, deve ter razão. Não sou, também, nenhum exemplo de organização. Há mais a fazer do que tempo para organizar o feito. Meu computador está […]

Há uma Gota de Lágrima em Certas Piadas

Esta semana o humorista Sérgio Mallandro foi ao programa “The Noite”, de Danilo Gentilli, e deu uma das mais desconcertantes entrevistas da história da televisão brasileira. Antes de comentar, gostaria que você assistisse, para que eu não estrague a sua experiência com spoilers: O poeta é um fingidor Finge tão completamente Que chega a fingir que é dor A dor que deveras sente. — Fernando Pessoa. Ao assistir a entrevista, especialmente após o seu surpreendente final, fui tomado por uma melancolia inesperada, em vez de […]