Um Milhão de Motivos para Matar um Gatinho (ou um Mandarim)

Perguntaram-me se eu mataria um gatinho por um milhão de dólares. Bem, eu mataria (intransitivamente) por um milhão de dólares, desde, é claro, que o pudesse fazer de maneira limpa. Não me critique, você também faria o mesmo. Todos pensamos utilitariamente, e consideramos mais as consequências do que os meios. O que nos impede, em geral, são considerações de ordem estética: matar é um ato brutal, animalesco, e que geralmente resulta em consequências comprometedoras para o resto da vida. Os seres humanos normais não matam […]

Adventavit Asinus

Quando uma pessoa diplomada aprende pseudociências (ou mesmo, ciências sólidas, mas com uma base filosófica fracassada e vulnerável), o efeito é tão ou mais pernicioso que uma pessoa comum reconhecer astrologia como ciência, de fato. — Glauber Frota Gostaria, amigo, de expandir um pouco esse seu raciocínio, mas não antes de cumprimentá-lo por esse diagnóstico. Nunca em sua vida, desde que ainda era um espermatozóide nadando em direção ao óvulo de sua mãe, você esteve tão certo sobre alguma coisa. Primeiramente eu gostaria de transformar […]

O Que Se Rouba e o Que Se Quebra

Recebi uma curiosa mensagem de um amigo: "até agora nenhuma livraria foi saqueada no Espírito Santo." O estado vive um caos de segurança pública, a polícia desertou das ruas, a sociedade regrediu ao estado de natureza teorizado por Hobbes e todos aqueles ditos em latim se materializaram: bellum omnia omnes e homo homini lupus. Nessa situação de total descontrole vemos pessoas aproveitando para resolver as contas com seus desafetos e gente roubando três tipos principais de bens: eletrônicos e eletrodomésticos, roupas e calçados, e joias […]

Como Seria a Vida sob o Comunismo?

O artigo a seguir é um exercício de imaginação, baseado nas obras de Karl Mark e Lênin. Não se trata de uma descrição da vida na União Soviética porque esta jamais atingiu o estágio do “comunismo ideal”, embora tenha sido o estado que dele mais se aproximou. Algumas das coisas citadas aqui existiram na União Soviética, outras nunca saíram da teoria revolucionária. A diferença entre uma e outra eu deixo como um exercício para o leitor interessado. Esta foi originalmente uma resposta que dei a […]

As Coisas e os Nomes das Coisas Não Coisam Bem

Em português as coisas têm nomes diferentes conforme o contexto. Nem toda coisa é a mesma coisa na mão de qualquer um, ou em qualquer lugar. Este é um guia rápido para estrangeiros ainda não acostumados aos nossos modos. Mulher rica, quando se veste bem, fica elegante. A pobre, quando consegue, vira perua. Mau gosto de rico é kitsch, bom gosto de pobre é brega. A mulher do pobre o trai, a do rico adultera. O marido pode ser corno ou um traído, e a […]

Elegia pelo Brasil que Seria

Consumado o ato final das manobras ritualísticas que resultaram no fim inexorável de um governo natimorto pelas circunstâncias atrozes da nossa política, resta-nos avaliar a extensão do desmonte. A impressão inicial destes primeiros dias é a frustração de uma derrota irreparável, como se o país tivesse decidido abortar-se. Os sinais enviados pelo novo governo sugerem entreguismo, retrocesso, autoritarismo e obscurantismo, e tudo em modo berserk. A reorganização ministerial sinaliza para uma radical inversão de prioridades, e a nova estrutura sugere uma mudança política que ninguém […]

Como Dormir num Domingo e Acordar na História

Quebrando ou não o decoro do Parlamento, o cuspe do Jean lavou nossa alma pois reconstruiu o decoro de toda uma classe. Ele "mitou", como se diz. Acredito que seus eleitores estarão a pensar: valeu a pena votar nesse veado cabra-macho só para ver ele cuspir naquele monte de bosta. Não é todo eleitor que pode se orgulhar de não ter desperdiçado um voto. Essa cusparada trouxe mais respeito à comunidade homossexual do Brasil do que quarenta mil textões de internet. Jean Wyllys entrou para […]

Elogio para Manu

Quando o mundo parece excessivamente careta, excessivamente nos trilhos, quando o triunfo inevitável da monocultura ideológica parece impossível de contornar; somente a juventude pode nos salvar. Os partidos e as ideologias perdem força quando envelhecem, perdem a criatividade atrevida que somente os jovens, os que nunca erraram para aprender o medo, conseguem ter. Nesse país onde todos os meios de imprensa estão acometidos por um misterioso vírus que faz sumir o nome de personalidades e siglas de partidos de oposição quando a manchete é sobre […]

Artistas Devem Ser Progressistas?

Caetano Veloso, que já foi melhor sintonizado com tal "espírito do tempo", indagou dia desses se é preciso que o artista seja progressista. A pergunta, claro, surgiu por causa da campanha feita por alguns artistas --- entre eles Roger Waters --- para que ele e Gilberto Gil não participassem de um festival de música em Israel. Embora eu acredite que o artista tenha o direito de tocar em Israel se quiser, a maneira como Caetano reagiu à cobrança que lhe fizeram foi extremamente danosa à […]

A Escola Brasileira Educa Para a Violência

Neste dia em que o país parece assombrado por fantasmas de um passado que deveria ter sido morto e enterrado há trinta anos, em um outro quinze de março, dediquei algumas horas a refletir sobre o futuro, já que o presente me parece irremediavelmente perdido, ainda que os fantasmas sejam derrotados (e eles deverão ser). Esta semana que passou ficou marcada em mim mais pelo relatório final da CPI estadual sobre o trote universitário, conduzida pela Assembleia Legislativa de São Paulo, do que por qualquer […]

Colonização Cultural – Um Debate

Anteontem começou uma longa discussão no Facebook sobre uma tal "colonização cultural". O ponto de partida foi um "meme" do Dr. House (um ícone cultural do colonizador, vejam só) com a frase seguinte: É de se imaginar o furor que a frase provocou, pois ela ataca a jugular dos jovens escritores brasileiros, sem lhes deixar chance de defesa. Nada afaga mais o ego juvenil do que a doce ilusão de ser especial, e nada o ataca com mais força do que a lembrança de que […]

Recurso Apresentado a um Concurso Público

Provando que eu já era meio ardoroso na defesa de minhas opiniões em 1999, vai uma correspondência por mim enviada à Prefeitura de um município do interior mineiro — com cópia para conhecido jornal de ampla circulação na região — após ter conhecimento do gabarito final de um concurso para provimento de vagas no magistério municipal, no meu caso para lecionar História. O concurso acabou anulado e eu, que havia sido reprovado por uma questão, tive a chance de fazer a prova de novo, mas […]