A Vaidade

O pro­blema do escri­tor é a vai­dade. Existe uma obses­são pelo pro­fis­si­o­na­lismo que se deve prin­ci­pal­mente à vai­dade: é pre­ciso ser, ou pare­cer, pro­fis­si­o­nal. Todos que­rem ser pagos pelo seu “talento” e acre­di­tam na teo­ria “tele­van­ge­lista” da “semente” e pagam seu “dízimo” para o deus-​mercado edi­to­rial na espe­rança de que seu inves­ti­mento hoje atraia os favo­res divi­nos (“sucesso, grana, fama e mulhe­e­e­e­res”… con­forme dizia a can­ção da Plebe Rude). Isso é uma mudança radi­cal que houve nos últi­mos 50 anos. Há 100 anos ser conhe­cido […]

Adventavit Asinus

Quando uma pes­soa diplo­mada aprende pseu­do­ci­ên­cias (ou mesmo, ciên­cias sóli­das, mas com uma base filo­só­fica fra­cas­sada e vul­ne­rá­vel), o efeito é tão ou mais per­ni­ci­oso que uma pes­soa comum reco­nhe­cer astro­lo­gia como ciên­cia, de fato. — Glauber Frota Gostaria, amigo, de expan­dir um pouco esse seu raci­o­cí­nio, mas não antes de cumprimentá-​lo por esse diag­nós­tico. Nunca em sua vida, desde que ainda era um esper­ma­to­zóide nadando em dire­ção ao óvulo de sua mãe, você esteve tão certo sobre alguma coisa. Primeiramente eu gos­ta­ria de trans­for­mar o seu […]

Os Seis Arrogantes Literários

Esta pos­ta­gem é base­ada em um tópico cri­ado por Daniel Gruber na comu­ni­dade Escritores Ajudando Outros Escritores, no Facebook. Não é reco­men­dá­vel a lei­tura se você for do tipo sus­ce­tí­vel. Existem seis tipos de per­so­na­li­da­des arro­gan­tes que não enten­dem como fun­ci­ona a lite­ra­tura e o mer­cado lite­rá­rio. Estas pes­soas aju­dam a difun­dir ideias ultra­pas­sa­das, ide­o­lo­gias noci­vas e com­por­ta­men­tos estú­pi­dos. Estes são os seis tipos (os qua­tro pri­mei­ros cita­dos pelo Daniel Gruber, o quinto por Daniel Iturvides Dutra e o sexto por mim): O pri­meiro arro­gante acha […]

Precisamos Falar Sobre Reis e Barrigas

Há um espec­tro que ronda a lite­ra­tura naci­o­nal, desde há algum tempo: o res­sen­ti­mento de uma classe de auto­res e crí­ti­cos con­tra o maior defeito da lite­ra­tura naci­o­nal, o seu povo. A lite­ra­tura bra­si­leira é, ape­sar do que pen­sem os indi­ví­duos que resi­dem em suas tor­res de mar­fim, a lite­ra­tura de um povo opri­mido, uma lite­ra­tura de resis­tên­cia. Ela tem de com­ba­ter a cada dia não somente con­tra as pró­prias limi­ta­ções mate­ri­ais de um país que ainda é sub­de­sen­vol­vido, mas tam­bém con­tra um sis­tema que parece […]

Por que que a gente é assim?

Mais uma vez? É claro que eu ’tô a fim. Parodio Cazuza para dizer que o escri­tor bra­si­leiro parece não se can­sar de ser humi­lhado. Não basta pra­ti­car uma arte con­si­de­rada “fácil” por quase todo mundo que não a pra­tica, não basta que con­si­de­rem a lite­ra­tura algo supér­fluo “com tanta gente pas­sando fome” e tam­pouco basta que veja­mos as pra­te­lei­ras de nos­sas livra­rias ocu­pa­das majo­ri­ta­ri­a­mente por uma espé­cie de subli­te­ra­tura cagada sobre nós pelo sis­tema hegemô­nico em que esta­mos inse­ri­dos. Nada disso basta, temos de […]

Gostei do Nobel para o Dylan

Como sou do tipo que acre­dita que uma Academia é essen­ci­al­mente uma des­culpa para um bando de velhos se con­ce­de­rem prê­mios e igno­rar o que se faz de novi­dade neste mundo, nunca dei muita bola ao Prêmio Nobel de Literatura. Especialmente por­que a mai­o­ria de seus agra­ci­a­dos tem pouca rele­vân­cia “pop” — o que sig­ni­fica que tra­zem pouca polê­mica — e os que a têm já estão velhos demais para tra­ze­rem alguma sacu­dida ao care­tís­simo uni­verso das letras. A coisa mais pare­cida com tal sacu­dida foi a con­ces­são a […]

Há Escritores Que São Burros

Vou come­çar a patru­lhar minha time­line em busca de escri­to­res que defen­dem essa reforma edu­ca­ci­o­nal só para ter o pra­zer de chamá-​los de bur­ros. Alguém que tra­ba­lha com cul­tura ou é da área edu­ca­ci­o­nal e defende essa mons­tru­o­si­dade enfi­ada pela goela abaixo do país merece ganhar de Natal qua­tro fer­ra­du­ras. É estar­re­ce­dor ver gente da área edu­ca­ci­o­nal ou cul­tu­ral defen­der, por razões ide­o­ló­gi­cas, um pro­jeto que piora ainda mais os PCN e vai na con­tra­mão de tudo que se pen­sou de moder­ni­dade em edu­ca­ção nas […]

Livros Para Morrer Antes de Ler?

Este livro é daque­les que quando você larga não con­se­gue mais pegar. — Millôr Fernandes A Revista Bula publi­cou uma lista de vinte obras que o autor con­si­dera tão ruins que é melhor mor­rer antes de ler. Trata-​se de uma inver­são do comum, que seria uma lista de coi­sas a se fazer antes de mor­rer. Embora eu dis­corde de alguns ele­men­tos da lista e não conheça alguns outros, tenho a minha pró­pria lista de obras que já ten­tei ler e decidi que a vida é […]

A Superfície Jovem

Uma coisa que eu venho per­ce­bendo é que as letras de música escri­tas nas déca­das pas­sa­das tinham muito mais matu­ri­dade. Artistas na casa dos vinte anos escre­viam sobre temas com­ple­xos, abor­da­vam dúvi­das exis­ten­ci­ais, tinham empa­tia com os mais velhos, cons­ci­ên­cia polí­tica… e faziam sucesso. Quando você com­para uma letra do Gênesis, por exem­plo, com uma da Shakira você sente isso per­fei­ta­mente. As letras que Peter Gabriel, Tony Banks, Mike Rutherford, Steve Hackett e Phil Collins escre­ve­ram ANTES DOS 21 reve­lam conhe­ci­men­tos (mesmo que super­fi­ci­ais) de […]

Pense Fora da Caixa e Entre Nessa Caixa Aqui…

O mer­cado edi­to­rial bra­si­leiro se carac­te­riza, desde há muito, pelo seu con­ser­va­do­rismo. Não me refiro aqui que o mer­cado seja avesso ao novo, mas que ele seja fechado a ques­ti­o­na­men­tos. Existe uma estru­tura de poder, e o autor bra­si­leiro, se qui­ser che­gar à noto­ri­e­dade, pre­cisa de abdi­car de liber­da­des que deve­riam ser essen­ci­ais à arte. O esta­blish­ment lite­rá­rio pre­cisa se pro­te­ger de ques­ti­o­na­men­tos, pre­cisa des­qua­li­fi­car quem ques­ti­ona, pre­cisa infan­ti­li­zar o dis­curso des­vi­ante. E como ele não ousa fazer isso pela boca de seus mem­bros mais […]

Elogio para Manu

Quando o mundo parece exces­si­va­mente careta, exces­si­va­mente nos tri­lhos, quando o triunfo ine­vi­tá­vel da mono­cul­tura ide­o­ló­gica parece impos­sí­vel de con­tor­nar; somente a juven­tude pode nos sal­var. Os par­ti­dos e as ide­o­lo­gias per­dem força quando enve­lhe­cem, per­dem a cri­a­ti­vi­dade atre­vida que somente os jovens, os que nunca erra­ram para apren­der o medo, con­se­guem ter. Nesse país onde todos os meios de imprensa estão aco­me­ti­dos por um mis­te­ri­oso vírus que faz sumir o nome de per­so­na­li­da­des e siglas de par­ti­dos de opo­si­ção quando a man­chete é sobre cor­rup­ção […]

Impressões (Apenas as Positivas) da Leitura da Série “Harry Potter”

Tenho a cer­teza de que alguns dos que lerão este texto se sur­pre­en­de­rão por sua sim­ples exis­tên­cia, outros não enten­de­rão sua razão de ser, mas os pou­cos que me acom­pa­nham há algum tempo logo enten­de­rão todos os porquês. Já faz algum tempo que eu par­ti­cipo de deba­tes lite­rá­rios nas redes soci­ais e a minha posi­ção mais fre­quente nes­tes é sem­pre no sen­tido de cri­ti­car os “best-​sellers”, naci­o­nais e estran­gei­ros, e glo­ri­fi­car obras que têm um pulso mais lento e firme. No entanto, os tais pou­cos […]