Todos Já Perdemos Alguma Coisa

Sexta-feira, cinco de outubro de dois mil e dezoito. São cinco minutos deste dia que amanhecerá carregado, por mais ensolarado que esteja. Não me interessa mais especular quem vencerá as eleições, amanhã, depois ou nunca. “Ao vencedor, as batatas”. A derrota é geral e irrestrita quando a guerra se trava sem limites — ainda mais quando a guerra não deveria ser uma guerra. O ano de 2018 ficará marcado na história do Brasil, se no futuro ainda houver História do Brasil. Estamos no ápice frenético […]

O Dia em Que Anna Maria Machado Virou Ozzy Osbourne

Somos ainda um país em luta contra uma limitação incapacitante de nossa cultura: nosso difícil relacionamento com o conhecimento de uma maneira geral e com a palavra escrita de forma particular. Este autor já se aventurou, em vários momentos, a comentar manifestações dessa relação conflituosa do brasileiro médio com os elementos característicos da cultura formal. Não espero que você leia todas as iterações anteriores do debate, mas as hiperligações para as postagens transversais ao assunto estão ao final. Esta postagem é sobre mais uma polêmica […]

“Pseudointelectuais” e Preconceitos

Não é raro ouvirmos o termo “pseudointelectual”, especialmente em debates sobre gostos (musicais, literários ou quaisquer). Em geral se usa para designar alguém que procura exibir uma cultura que não tem. Mais especificamente, quando essa opinião destoa do senso comum e/ou (mais provavelmente) discorda da opinião de quem se sente inferiorizado. O termo é, portanto, um marcador de fronteiras sociais e culturais invisíveis, servindo para legitimar ou deslegitimar opiniões. Por esse motivo, é perigoso que seja usado em vão. Cultura não deveria humilhar ninguém A […]

Arte Para Quem Goste de Arte

Às vezes nos perguntamos por que é tão difícil entender a arte moderna. É uma dúvida justa, visto que nem mesmo os que dizem entendê-la conseguem explicá-la. A impressão que temos é que o gosto dos amantes da arte é uma maçonaria mais impenetrável. Creio que isso ocorre basicamente porque a arte não é feita gente como nós, como eu. A maior parte da produção artística de hoje é feita e consumida pelas altas classes, que utilizam a arte com várias finalidades, entre as quais […]

Livros “Perigosos”

A formação psicológica do ser humano passa por fases nas quais é natural e esperado que tenha “ídolos” em quem se espelhe. Autores, enquanto humanos que são, passam por isso. O amadurecimento do autor é um processo que passa pela superação da idolatria, substituindo-a por uma reflexão mais profunda sobre a arte. Esse processo implica em deixar de ver uma imagem única do ídolo e de sua obra. Para muitos jovens autores, a ideia de que obra e autor possam estar tão separados soa chocante, […]

Como o Lugar de Fala Pode Matar a Literatura como a Conhecemos — e Porque Isso Pode Ser Bom

Há algum tempo uma pesquisadora da UnB fez um levantamento estatístico da literatura nacional e concluiu que ela é o produto do trabalho, principalmente, de homens brancos, de classe média originários do eixo Rio-São Paulo. À parte algumas vociferações nas redes sociais, esse resultado não foi praticamente discutido por ninguém porque é uma descoberta que incomoda. Ninguém gosta de ser tachado de racista e ninguém é racista simplesmente por pertencer a uma classe privilegiada da população. Porém o que se detectou nessa pesquisa é um […]

O Que Se Rouba e o Que Se Quebra

Recebi uma curiosa mensagem de um amigo: “até agora nenhuma livraria foi saqueada no Espírito Santo.” O estado vive um caos de segurança pública, a polícia desertou das ruas, a sociedade regrediu ao estado de natureza teorizado por Hobbes e todos aqueles ditos em latim se materializaram: bellum omnia omnes e homo homini lupus. Nessa situação de total descontrole vemos pessoas aproveitando para resolver as contas com seus desafetos e gente roubando três tipos principais de bens: eletrônicos e eletrodomésticos, roupas e calçados, e joias […]

O Mito da Acessibilidade

Uma das maiores polêmicas em que os jovens autores se envolvem é a questão da “acessibilidade”, um termo muito mal empregado no contexto da edição de livros. Teoricamente, o termo se refere a meios através dos quais pessoas deficientes de algum sentido teriam acesso a um lugar ou conteúdo. Por causa da acessibilidade existem os livros em braille, para que os cegos possam ler, os livros infantis têm letras grandes, adequadas à faixa etária, foram criados softwares de leitura para permitir que os cegos usem […]

Precisamos Falar Sobre Reis e Barrigas

Há um espectro que ronda a literatura nacional, desde há algum tempo: o ressentimento de uma classe de autores e críticos contra o maior defeito da literatura nacional, o seu povo. A literatura brasileira é, apesar do que pensem os indivíduos que residem em suas torres de marfim, a literatura de um povo oprimido, uma literatura de resistência. Ela tem de combater a cada dia não somente contra as próprias limitações materiais de um país que ainda é subdesenvolvido, mas também contra um sistema que […]

Gostei do Nobel para o Dylan

Como sou do tipo que acredita que uma Academia é essencialmente uma desculpa para um bando de velhos se concederem prêmios e ignorar o que se faz de novidade neste mundo, nunca dei muita bola ao Prêmio Nobel de Literatura. Especialmente porque a maioria de seus agraciados tem pouca relevância “pop” — o que significa que trazem pouca polêmica — e os que a têm já estão velhos demais para trazerem alguma sacudida ao caretíssimo universo das letras. A coisa mais parecida com tal sacudida […]

As Coisas e os Nomes das Coisas Não Coisam Bem

Em português as coisas têm nomes diferentes conforme o contexto. Nem toda coisa é a mesma coisa na mão de qualquer um, ou em qualquer lugar. Este é um guia rápido para estrangeiros ainda não acostumados aos nossos modos. Mulher rica, quando se veste bem, fica elegante. A pobre, quando consegue, vira perua. Mau gosto de rico é kitsch, bom gosto de pobre é brega. A mulher do pobre o trai, a do rico adultera. O marido pode ser corno ou um traído, e a […]

Chega de Histórias Machistas

Estamos em pleno século XXI e certas modas parecem não desaparecer de jeito nenhum, o machismo sendo uma delas. Mesmo na literatura, onde supostamente deveria imperar um tipo de artista mais crítico e mais hábil no manuseio de abstratos, o machismo segue dando as cartas. A Jornada do Herói e o Machismo Uma das formas pelas quais ocorre a perpetuação do machismo na literatura é a adoção servil da “Jornada do Herói” como um modelo padrão para toda história. Acontece que este é um modelo […]