Não Quero Aprender

Recebo ocasionalmente mensagens não solicitadas que me oferecem cursos de «escrita criativa». À parte o estranhamento de imaginar como podem ensinar criatividade, estas ofertas não me interessam, nem remotamente. Se me fossem feitas pessoalmente eu responderia, educadamente, que «muito obrigado» e, no caso de uma insistência equivalente à da frequência com que tenho recebido tais…

Quando o Cansaço e a Estafa…

Subíamos a muito custo, por falta de costume, de equipamento. Mas subíamos com muita vontade, com máquina fotográfica e a esperança de ver na face do vale a pegada da civilização. A montanha estava à nossa espera ali, onde sempre estivera, sua face sul vincada como um punho erguido, desafio aos nossos pés acostumados a…

Absolutamente

Temo ferir o teu viço
com os espinhos que adquiri.
Porém a dor, talvez a faça
adquirir um pouco cedo
o que tão tarde descobri:
não há salvação sem a verdade,
não há destino sem partilha
e não há felicidade,
absolutamente.

Gente que Leio: Felipe Holloway

Esta semana tive o prazer de ler o mais novo conto deste jovem autor. Como de todas as outras vezes, me restou o queixo caído e uma profunda inveja. Inveja positiva, não essa inveja que tenta apagar o sol alheio que incomoda sua treva pessoal. Tive deixar-lhe um comentário, que aqui reproduzo. Felipe, eu não…

Guardai-nos do Mal

Prólogo para um romance de ficção científica iniciado em 1999, que eu nunca procurei terminar porque descobri que J.G. Ballard já havia escrito uma história parecida demais. As ruas são perigosas. Sair de casa envolve sempre riscos. Por isso procuramos fortalezas, compartimentos isolados para nossos sonhos estanques. Moro em um edifício preparado para isso. Nele…

Atentado Violento ao Leitor

Dei-me conta disso por causa de um desses movimentos literários altruístas e anticapitalistas que surgiram por aí. Acho que o nome é “Doe um Livro”, ou coisa parecida. Eu estava esperando em uma fila de banco, ocasião em que o bom gosto fica seriamente comprometido e você pode se pegar lendo com interesse o verso…

Poema com um Título mais Longo que a Tristeza

Estou sozinho na casa vazia. Ando pelos cômodos assombrando a minha própria vida. Me distraio da morte que chega e da vida que vai comendo um queijo que amarga e se acaba e aumenta a sede. Bebi uma quantidade absurda de água e me sinto pesado como um odre, com uma sede ainda, uma que progride a passos de aranha na parede.