Sofredores Enxergam Sofredores

O sofrimento não parece ser algo tão comum quanto realmente é. Uma possível razão disso é que sofrer não é socialmente aceitável, é quase uma falha de caráter ou um tipo de imundície. A etiqueta nacional prescreve que o bom brasileiro deve estar sempre com um sorrisão bonito e uma carinha luminosa, porque somente assim você merece o qualificativo de “simpático”; que é absolutamente necessário em certas condições. A verdade é que quase ninguém sai pela rua exibindo a sua dor. A norma é que se saia […]

Sue Para Escrever Sua Cota, Seja Como For

Dizer que “os escritores de hoje enfrentam dilemas diferentes dos de antigamente” é uma platitude. Cada época tem seus desafios, gostemos ou não, mas algumas coisas são mesmo novas, outras só parecem. Uma das que me espantam é que tantos autores de hoje se imponham uma cota diária de palavras, como um infeliz sujeito obrigado pelo médico a pagar flexões e puxar ferros para entrar em forma. A ideia de que o autor precisa escrever com frequência e quantidade não é nova, mas a obsessão […]

Ninguém Tem o Direito de Nunca Ser Ofendido

“O Romance da Universitária Otária” foi um grande sucesso da Banda Blitz nos anos 80. Falando sobre uma jovem sem rumo na vida que se envolve com um fala-mansa chamado “Abreu”, a canção incluía uma estrofe que ficou marcada para mim até hoje: “Todo mundo quer ir pro céu, mas ninguém quer morrer.” A frase foi usada para ironizar a Aparecida (a tal universitária) que escolhia cursos como quem escolhe roupas e pensava mais nos diplomas do que nos estudos. A frase também serve para […]

Engenho e Arte

> Cantando espalharei por toda parte, > Se a tanto me ajudar o engenho e arte. > — Camões. Um dos temas recorrentes nas comunidades virtuais de escritores é a dico­tomia entre talento e técnica, muito embora eu suspeite que tal controvér­sia floresce mais naqueles que não exibem nenhuma das duas coisas. Grosso modo, esta é uma polêmica entre pessoas que acreditam que o mais importante é possuir um tipo de predestinação para a arte e outras que estão certas de que se pode adestrar […]

Entrevista de Emprego

Entrei em uma sala gélida, de móveis desenhados a régua e compasso, mas sem inspiração. Uma senhora tentava parecer vinte anos mais jovem a custa de muita maquiagem e de roupas roubadas do armário da filha do meio.Quando me viu ela ergueu os olhos cuidadosamente, tentando disfarçar que os seus óculos transados eram trifocais, e sinalizou-me uma cadeira desconfortável. Sempreé desconfortável a cadeira de quem se mede com a autoridade, eu tinha a sorte de não ser um instrumento de interrogatório medieval. Vendo-me devidamente em […]