A Um Amigo que Foi Cedo

Hoje perdi um amigo. Era um sujeitinho peludo e de nariz frio, algo tristonho (talvez de saudades das ruas e das cachorras), mas era um desses que a gente se afeiçoa fácil. Até eu, que nunca tivera nenhuma vontade de ter um. Eu o apelidara de Bob Cachorrovich Viralatov porque o recebi em adoção em uma época em que estava, novamente, tentando aprender russo. Achei apropriado e ele não se importou. Ele não era do tipo que se importava muito. Enquanto houvesse água em sua […]

O Estilo Cucaracha

A barata é uma criatura que testa a engenhosidade do ser humano, mas também os seus dotes marciais. Nada é mais revelador do caráter de um homem do que o inesperado encontro com uma cascuda voadora a zumbir no escuro. Deve ser por isso que H. P. Lovecraft escreveu que o título original do Necronomicon era Al Azif, supostamente “o zumbido”. Uma barata voadora no escuro é uma ameaçada alada à masculinidade de qualquer barbado fã de death metal escandinavo. Agora há pouco tive um […]

Bob e o Felino

Não temos gato, mas temos o lado ruim de ter um gato. Se é que vocês me entendem. O vizinho tem o gato, nós temos cachorro, o Bob (formalmente chamado de Roberto Cachorrovich Viralatov, porque é quase um personagem de Dostoievski). O Bob detesta o gato do fundo de sua alma lupina remanescente. O gato, bem, meh… Toda noite o gato se deita para dormir na beira da varanda do vizinho, que é visível de nosso quintal. Bob vai até o gramado, o mais perto […]

Ora, Pombas!

A pomba pousou no teto do casebre que o artista tentava desenhar. Ele agitou os braços na direção dela, como se quisesse estapeá-la, mas em vão, e logo se conformou que não conseguiria proibir pássaro nenhum de pousar nos tetos para descansar de suas aventuras. Então pegou e comeu uma das batatas cozidas que ainda restavam no prato do almoço que mal tocara. Quando olhou de volta, havia outra pomba pousada ao lado da outra e então desejou apagar toda pomba de cada teto. Começou […]

Sobre Animais e Pedestres

Ando pensando em reavaliar meus conceitos sobre a inteligência humana. Não bastassem as recentes descobertas que evidenciam que a maioria de nossos comportamentos são reações a estímulos determinados e que, conhecendo estes, é possível induzir àqueles, não cessam de surgir evidências, também, de que os bichos podem apresentar comportamentos muito mais racionais do que o de certos “senhores da natureza”. Eu tinha ido fazer compras enquanto minha mulher arrumava o cabelo em um salão de beleza. Enquanto procurava uma vaga para estacionar, parei diante de […]

Tempo de Semear, Tempo de Colher

Estas montanhas têm uma história, desde os tempos dos índios, desde antes do primeiro português cortar a primeira árvore. Eles vieram, viveram, morreram, viram o mal que havia e se foram, ficaram apenas alguns pobres puris isolados, entocados quase como bichos. Vieram os emboabas a caminho das minas, tentaram fixar-se aqui, mas não ficou nenhuma vila, queimaram todas as casas, sumiram no tempo como se nunca tivessem pousado, e a estrada real passou ao largo.

O Ódio à Poesia

Acabo de me deparar no Facebook com alguém compartilhando a pequena história em quadrinhos acima. Logo que a li percebi que ali havia assunto para mais do que meramente um “Curtir” ou um “Compartilhar”, mesmo porque não me senti impelido a nenhuma das duas coisas. Como aquela rede social não é muito receptiva a elucubrações mais compridas, preferi postar aqui, mesmo sabendo que menos gente lerá, curtirá ou compartilhará. > Texto escrito em 2012 como resposta à divulgação de uma tirinha em que se manifestava […]

Coisas de Minha Terra

Apontamentos avulsos e incompletos encontrados datilografados sobre o verso de páginas contendo alguns poemas. Tanto os poemas quanto esses apontamentos haviam desaparecido de minha lembrança. A data (dos poemas) é 1994, a destes apontamentos deve ser um pouco depois (um ano, no máximo). Trata-se aqui do texto mais antigo cuja forma original não tem influência alguma de revisões posteriores. Uma verdadeira relíquia da época em que eu ainda estava aprendendo a tentar escrever. Mais do que isso, parecem ser apontamentos para um glossário que ficaria […]

O Lobo do Leme

Nos encontramos em um bar imaginário, durante uma digressão sonambúlica. Tentei assaltá-lo com uma pergunta, mas ele é refratário a tais abordagens e sempre reverte a tentativa com uma proposição inesperada. Ontem, por exemplo, quando lhe perguntei quem eram as pessoas cujos nomes ele me recomendara conhecer, ele ignorou o que eu dissera e me perguntou se eu tenho escrito. Reconheço que é inútil tentar conduzir a conversa quando se trata dele, então acabei aceitando a pergunta, na esperança de que as dobras do assunto acabassem por esbarrar na resposta do que eu queria descobrir.[…]

O Mundo Não Vai Acabar

Quando ocorre uma tragédia de grandes dimensões humanas, algo infelizmente frequente, há muitos que se apressam em dizer que “este mundo está é perdido” e que nós vivemos o suposto “final dos tempos”. Quem estuda a História da humanidade a fundo sabe muito bem que jamais deixou de haver este conceito tão popular, de que o mundo “está acabando”, mas apesar de tudo o mundo segue aí, firme e forte em sua marcha rumo ao caos. Podem me acusar de insensível, mas a verdade é […]

Quanto Você Quer Pagar?

Quanto você pagou pelo seu dia de hoje? Nada? Tem certeza? Provavelmente você está enganado, tanto quanto eu estive durante décadas perdidas de minha vida. Cada dia que você vive está pago, e muito bem pago, com uma moeda cujo valor subjetivo é maior que o do dólar e o do iene: a liberdade. É com liberdade que você paga por lhe terem deixado vivo mais um dia. Com ela você comprou, indiretamente, o pão e o café que o prepararam para outra jornada. Esta, […]