Podemos Ainda Perguntar Algum Porquê?

Toda criança já teve a fase filosófica em que perguntava o “porquê” de cada coisa. Há um determinado momento da vida em que desejamos ativamente participar do entendimento do mundo, penetrar o universo das respostas, aparentemente habitado pelos adultos. Perguntamos os porquês de cada coisa que nos entristence, fascina, amedronta ou seduz. Não é uma reação de rebeldia, é apenas curiosidade. Toda criança que já teve essa fase já passou, também, pela decepção de descobrir que os adultos apenas “parecem” ter todas as respostas. Incapazes […]

Os Vendedores, os Mascates e os Vendilhões

No cenário literário de hoje existe hoje uma crença generalizada de que tudo deva ser vendido pela mesma pessoa que produz. Na prática, isso coloca o “vender” acima do “produzir”. É uma visão diferente de outras artes. Por exemplo: no cinema existem produtores, roteiristas, diretores, atores, contra-regras, operários, etc. Papeis muito bem compartimentados. Há quem trabalhe em mais de um (atores que também são diretores, diretores que também fazem roteiro, roteiristas que também produzem, produtores que também dirigem etc.), nem sempre em um mesmo filme. […]

Vale ou Não Vale Auto-Publicar-se?

Escrevi este artigo com base em reflexões que tive sobre a minha própria carreira desde 2005 e as ofertas que recebi, entre aceitas e rejeitadas. Gostaria que você que me lê visse isso mais como um depoimento do que como um diagnóstico do mercado. Isto dito, vamos lá. Há quatro coisas que as editoras podem fazer por um autor. E se você não tiver uma editora que lhe faça, no mínimo, duas delas, então é melhor autopublicar-se do que assinar um contrato. As quatro coisas […]

O Mito da Acessibilidade

Uma das maiores polêmicas em que os jovens autores se envolvem é a questão da “acessibilidade”, um termo muito mal empregado no contexto da edição de livros. Teoricamente, o termo se refere a meios através dos quais pessoas deficientes de algum sentido teriam acesso a um lugar ou conteúdo. Por causa da acessibilidade existem os livros em braille, para que os cegos possam ler, os livros infantis têm letras grandes, adequadas à faixa etária, foram criados softwares de leitura para permitir que os cegos usem […]

Por que que a gente é assim?

Mais uma vez? É claro que eu ‘tô a fim. Parodio Cazuza para dizer que o escritor brasileiro parece não se cansar de ser humilhado. Não basta praticar uma arte considerada “fácil” por quase todo mundo que não a pratica, não basta que considerem a literatura algo supérfluo “com tanta gente passando fome” e tampouco basta que vejamos as prateleiras de nossas livrarias ocupadas majoritariamente por uma espécie de subliteratura cagada sobre nós pelo sistema hegemônico em que estamos inseridos. Nada disso basta, temos de […]

O Editor Superstar

Esta semana o jornal O Globo publicou matéria sobre Gordon Lish, editor americano que em certa época editou a Esquire. A matéria é extremamente interessante para amadores como eu, mas para profissionais também. Acredito que há muita reflexão produtiva que se pode fazer a partir do conteúdo. A primeira impressão que o texto me deixou foi profundamente negativa, afinal, o tipo de relação entre editor e autor que é defendido por Lish (e pelo autor da reportagem) não me parece nada saudável. Existe uma questão […]

Pense Fora da Caixa e Entre Nessa Caixa Aqui…

O mercado editorial brasileiro se caracteriza, desde há muito, pelo seu conservadorismo. Não me refiro aqui que o mercado seja avesso ao novo, mas que ele seja fechado a questionamentos. Existe uma estrutura de poder, e o autor brasileiro, se quiser chegar à notoriedade, precisa de abdicar de liberdades que deveriam ser essenciais à arte. O establishment literário precisa se proteger de questionamentos, precisa desqualificar quem questiona, precisa infantilizar o discurso desviante. E como ele não ousa fazer isso pela boca de seus membros mais […]

Literatura em Equipe ou “A Morte da Autoria”

Há algum tempo eu fui convidado pelo blog “Revolução E-Book” a escrever uma série de artigos sobre a minha opinião sobre a referida Revolução. O resultado foi uma série de artigos chamada “[Carta Aberta ao Senhor Motorista do Tanque](http://www.letraseletricas.blog.br/lit/2011/10/carta-aberta-ao-senhor-motorista-do-tanque-indice)”, na qual eu me coloquei na posição do chinês que tentou impedir a coluna de tanques de avançar para a Praça da Paz Celestial, em 1989. Tal como ele, eu não tenho muita ideia do que estou fazendo, sei que não vai adiantar e provavelmente estou […]

Depois de Ler Draccon, Reli “O Alquimista” e Achei Bom

Muitas vezes eu lia textos de jovens autores nas comunidades do Orkut, e mais tarde aqui no Face, e ficava espantado com o baixo nível de domínio da norma culta. Com o tempo me acostumei com a ideia de que a escola inclusiva e universal que existe hoje não consegue formar um usuário pleno do idioma no mesmo tempo de antes, em troca, ela leva mais gente ao fim do caminho. Respirei fundo e me conformei com isso, mesmo suspeitando que algo não somava 100% […]

O Rei [da Literatura Fantástica Nacional] Está Nu

A vaidade é um pecado, segundo o Eclesiastes, que reinou em Jerusalém. Pessoas contaminadas por ela cometem os maiores enganos sem perceberem que estão em equívoco, porque a vaidade produz a dissociação da realidade: o vaidoso perde a capacidade de realizar uma avaliação isenta do mundo. Talvez por isso queira se cercar de um séquito de admiradores. Não só porque a adulação reconforta, mas porque a vaidade se completa no elogio. O vaidoso faz é apenas um meio para ordenhar a simpatia desse séquito. Não […]

Os Novos Autores Não Servem para Nada

Pelo menos é isso que pensam os que se propõem a publicar versões “facilitadas” da obra de Machado de Assis para atingir a um público que não o leria por causa da dificuldade do vocabulário, supostamente. Evidentemente, a ninguém ocorreu que, para aqueles que não alcançam prateleira onde olimpicamente repousam os clássicos, existem outros autores, que não são clássicos e apresentam um vocabulário mais acessível aos leitores de hoje. Estou falando, claro, dos novos autores da literatura nacional, que, aparentemente, não servem para nada, nem […]

A Casa do Escritor

> Esta postagem é uma obra de não-ficção, que cita e parodia livremente um texto compartilhado na internet, com finalidade satírica e sem fins lucrativos, ancorada na liberdade de expressão e no conceito do *fair use* (embora este ainda não seja consagrado em nossa legislação, já o é em nosso bom senso). Vem aí o mais imperdível evento literário de 2014. Não, não estou falando de Bienal ou Feira do Livro, estou falando de uma novidade: um *reality-show* de escritores, sem a parte do *show*, […]